WeWork em Belo Horizonte: conheça a 5ª startup mais valiosa do mundo

Com menos de um ano no Brasil, a WeWork – rede global de espaços de trabalho – está se preparando para abrir a terceira sede no país. Em outubro, Belo Horizonte receberá um prédio com um ambiente dinâmico, espaços compartilhados e soluções para todos os tipos de empresas.

De acordo com Camila Weber, gerente de comunicação no Brasil, a opção de instalar uma unidade na cidade surgiu pelo trabalho que já vem desenvolvendo. “BH é a terceira cidade do Brasil e, com certeza, foi escolhida muito pela vocação empreendedora e pelo ecossistema forte de startups que é apoiado por organizações como a FIEMG. Para a gente é muito relevante estar em um mercado onde a gente vê que tem espaços tanto de um lado com as startups, com a comunidade empreendedora, como também com as indústrias mais tradicionais que estão abertas a se reinventar e a observar novas formas de trabalho”, disse.

Presente em mais de 20 países, a startup é tida como a 5ª mais valiosa do mundo e foi avaliada em U$ 20 bilhões. Com mais de 248 mil membros em 74 cidades, a WeWork já está presente em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Mais que um coworking

Durante evento promovido pelo FIEMG Lab no Sistema FIEMG, representantes da startup mostraram que o negócio vai muito além de um coworking convencional. Todo o espaço é projetado para deixar os empreendedores confortáveis e para gerar conexões. Além da estrutura física, são oferecidos ainda serviços e um aplicativo que une todos os integrantes globais.

Ainda segundo Weber, o fato de a empresa ter uma comunidade global a integra e faz com que exista um propósito que ultrapassa as fronteiras dos prédios: com a estrutura é possível desenvolver negócios. “As pessoas que fazem parte dessa comunidade podem expandir suas fronteiras graças a plataforma”, disse em referência ao que é oferecido e a globalização dos serviços.

Mudança cultural

Ao longo da conversa, a represente da instituição falou também que o modelo de negócios é funcional pelo fato de existir uma mudança cultural e, consequentemente, comportamental, que instiga o empreendedor e o colaborador a mudar a forma com a qual lidam com as atividades profissionais.

Sobre essas mudanças, André Villar, gerente do WeWork Labs, falou sobre o significado do encontro acontecer na Federação das Indústrias de Minas Gerais. “O mais legal é fazer essa palestra e falar sobre isso em um ambiente como a FIEMG. A gente sabe que sempre que vai falar de tendência, de cultura, a gente acaba falando muito de startup, de tecnologia, de empresas que nasceram recentemente – a WeWork mesmo nasceu em 2010. Mas no fundo no fundo, a gente sabe que o impacto maior está quando a gente percebe esta mudança chegar na indústria”, afirmou.

Premiação

A WeWork trouxe para o Brasil a iniciativa Creator Awards, uma premiação que tem por objetivo valorizar boas ideias ou projetos que tenham impacto social. Qualquer pessoa pode participar e serão três as premiações: para artistas, Organizações Sem Fins Lucrativos (ONGs) e Empreendedores. Ao todo serão distribuídos mais de R$ 2 milhões em prêmios. As inscrições vão até o dia 15 de julho e podem ser feitas por meio do endereço https://we.co/vamosjuntos.